Leitura - 3min

A importância da criação e da imaginação na infância

Por meio da brincadeira, a criança pode se expressar e se comunicar com o mundo que a cerca

Como ensinar a importância da criação e da imaginação na infância?

Os primeiros anos de vida de uma criança, ou o que costumamos chamar de primeira infância, são cruciais para o desenvolvimento humano. Comportamentos comuns nessa etapa, como a criação e a imaginação que fazem parte do brincar, são fundamentais para que a criança se aproprie do mundo e elabore suas vivências.

Criar e imaginar são características inerentes às crianças, habilidades necessárias para o desenvolvimento do seu mundo interno. Essas aptidões são elaboradas com base na brincadeira. “Ao brincar, a criança se relaciona com o exterior, cria explicações, possibilidades de atuações e de respostas, observações e reflexões sobre sua realidade”, reflete a psicóloga Iara Raittz Baratieri.

Crianças que brincam são mais saudáveis

A criança não só se expressa por meio do ato de brincar, como também produz subjetividade, vivências e elaborações a respeito da sua própria história. “Brincadeira de criança é algo muito sério”, ressalta Iara. Por isso é importante que seja tratada pelos adultos como tal. Por meio das brincadeiras, a criança entra em contato com o mundo, se desenvolve, estimula sua criatividade, adquire novas habilidades, se socializa, se expressa e se comunica.

As brincadeiras são uma excelente forma dos adultos se conectarem com o universo infantil, e para que isso aconteça de forma natural, é imprescindível que cada criança seja respeitada em sua singularidade, acolhida em seu “jeito de ser” e, na mesma medida, situada e educada de acordo com a realidade em que vive. Por isso, é importante contextualizar e conversar com os filhos a respeito dos seus comportamentos, da sua responsabilidade sobre os mesmos e também das suas consequências.

Estimular a imaginação infantil

“As brincadeiras também são momentos importantes de fortalecer e possibilitar essas relações”, afirma a psicóloga. “Muitas vezes é por meio das brincadeiras que conseguimos ter acesso ao entendimento das crianças sobre as situações que elas vivem. É como se, pelo brincar, elas traduzissem seus sentimentos e a forma que observam o mundo.

Neste sentido, é importante que sejam oferecidos brinquedos que possibilitem esses estímulos, que proporcionem a relação com o outro. Ou seja, bons brinquedos são aqueles que estimulam que criança que se comunique, experimentando liberdade de manipulação de forma a permitir que a imaginação atue. Desta forma, os melhores brinquedos não são aqueles que colocam a criança como simples espectador, e sim aqueles que sirvam como instrumentos para exercer a criatividade.

Noticias Relacionadas:

Outras noticias relacionadas à: Marista Lab

Deixe aqui suas sugestões, elogios ou críticas