Leitura - 1min

Proposta pedagógica coloca a criança como protagonista

Pedagogia de Reggio Emilia parte do interesse dos alunos, incentivando a autonomia no aprendizado

Crianças inventivas, protagonistas e respeitadas sobre a forma como veem e percebem o universo que as cerca. Essas são algumas das características da pedagogia Reggio Emilia, que se baseia na relação e na escuta no processo de aprendizagem. Aqui, o entendimento é de que a criança conhece o mundo como uma pesquisadora, agindo de forma potente, curiosa e questionadora.

A pedagogia Reggiana foi desenvolvida pelo educador Loris Malaguzzi no norte da Itália na cidade de Reggio Emilia no pós-guerra, quando as mães viúvas buscavam um lugar de qualidade para seus filhos. Hoje é reconhecida mundialmente como uma das melhores propostas educativas para a primeira infância.

Os pilares são a pedagogia da escuta, o pensamento crítico, a arte, a livre expressão, a pesquisa e a documentação. A intenção é envolver a criança partindo dos seus próprios interesses, incentivando a sua autonomia. Com isso, criam-se laços mais fortes entre o aluno e a aprendizagem, o que reflete não somente na infância, mas se estende a toda a jornada educacional.

A criança como protagonista

Crianças já são sujeitos capazes de estabelecer as próprias relações e têm o direito de serem escutados. Possuem todo o potencial para construir conhecimento e interagir com o seu entorno, ou seja, são investigadores natos. Um desenvolvimento completo deve englobar todas as linguagens: expressivas, comunicativas, cognitivas, éticas, lógicas, imaginativas e racionais.

Uso de materiais naturais

Explorar materiais naturais, como troncos, pedras e folhas, blocos de construção e o conceito de loose parts, ou partes soltas, são elementos importantes que permitem construir e criar usando a imaginação. Esses objetos, ressalta Barbara Correa, professora e coordenadora do curso de Pedagogia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR) atuam despertando na criança o desejo de experimentação, descoberta e aprendizagem. “Nesse sentido, há intensa valorização do espaço e da documentação daquilo que criam e refletem no decorrer das suas criações”, diz.

Os pais podem aplicar o conceito em casa

“Os pais podem permitir que as crianças tenham possibilidades de experimentar tudo que está ao seu redor. Podem permitir e interação livre com a natureza e com objetos comuns caseiros, que viabilizem diferentes experiências”, aconselha Bárbara, que ressalta que toda a criança nasce como um sujeito curioso e com enorme potencial para aprender.

O que acontece, afirma, é que quando os adultos direcionam as suas ações, podem atrapalhar as possibilidades de experimentação. A pedagogia de Reggio Emilia ressalta a importância de permitir que a criança seja a protagonista e os adultos, observadores do processo de aprendizagem.

Deixe aqui suas sugestões, elogios ou críticas