Leitura - 3min

Sabia que escrever à mão desenvolve o cérebro?

Estudos mostram impacto direto na melhora no processo de alfabetização e do desenvolvimento infantil em crianças que conseguem escrever à mão

Crianças cada vez mais conectadas, teclando em tablets e celulares, põem em xeque o uso do bom e velho lápis para escrever à mão. Porém, inúmeras pesquisas têm mostrado evidências de uma relação mais profunda entre a escrita e o desenvolvimento. A escrita à mão pode mudar a forma como o cérebro da criança progride e tem impacto direto na alfabetização.

O que se tem observado é que crianças que primeiro são ensinadas a escrever à mão aprendem a ler mais depressa e se tornam mais capazes de gerar e transportar ideias para a linguagem escrita. Além disso, a tendência é de reterem as informações com mais facilidade, pois a escrita à mão auxilia a memória. Por exemplo, se você fizer uma lista ou nota e perdê-la, você terá mais chances de lembrar do que escreveu do que se tivesse tentado memorizar.

Melhora a leitura

Para a psicoterapeuta Luiza Helena Rocha

“A escrita à mão contribui para a fluência da leitura, pois ativa a percepção visual das letras e melhora a precisão e a velocidade com que as crianças as reconhecem”

Logo, crianças que utilizam pouco a letra manuscrita têm mais dificuldade em extrair o significado do texto e interpretar o contexto de palavras e frases. No caso do aprendizado da escrita cursiva, o cérebro desenvolve funções especializadas que integram sensação, controle de movimento e pensamento.

“Podemos concluir que a escrita à mão pode mudar a forma como o cérebro da criança se desenvolve e tem um impacto direto na alfabetização”

Hoje, é comum que muitos pais e educadores observem que as crianças têm mais dificuldade em utilizar a letra manuscrita, que muitas vezes pode ser praticamente ilegível. Parte disso se deve ao uso excessivo de dispositivos digitais, por isso é importante estabelecer horários e estar atento ao uso da tecnologia desde quando o filho é pequeno.

Brincar

Acessar a escrita manual e cursiva, explica a psicoterapeuta, é consequência do desenvolvimento psicomotor que se inicia no nascimento. O brincar, por exemplo, é um dos principais fatores que influenciam nesse processo de desenvolvimento.

“As crianças precisam ter oportunidade de brincar livres, no chão e ao ar livre, principalmente nos primeiros anos. Quanto mais elas brincarem e mais ricas e variadas forem as brincadeiras, mais facilidade terão para o aprendizado da escrita e da leitura”

Além disso, terão mais aptidão para compreender conceitos lógico-matemáticos.
Tendo em mente a importância da escrita cursiva, não é preciso questionar e nem impedir o uso da tecnologia. Fato é que os avanços tecnológicos estão acontecendo e não são por si só bons ou ruins.

“O uso que fazemos dela é que pode fazer a diferença. O que precisa ser feito é integrar o que há de melhor nos dois tempos, com equilíbrio e temperança, buscando sempre o melhor para a criança”

Noticias Relacionadas:

Outras noticias relacionadas à: Adolescência

Deixe aqui suas sugestões, elogios ou críticas