Comportamento

Síndrome do Impostor: o que é e como evitar?

Share on whatsapp Pinterest LinkedIn Tumblr

Pessoas com essa síndrome podem apresentar recorrente sentimento de inadequação

Já ouviu falar em Síndrome do Impostor? Talvez não com este nome, mas com certeza conhece alguém ou até mesmo reconhece em você algumas características. As pessoas que apresentam essa síndrome sofrem de uma sensação de fraude e sentem dificuldade em reconhecer o próprio sucesso e competência. Falar sobre seus sentimentos, ser gentil consigo mesmo e procurar apoio são os primeiros passos para melhorar.

Como isso é causado?

Alguns pesquisadores acreditam que a origem pode estar relacionada aos rótulos que muitos pais atribuem aos filhos, como um sendo o “inteligente” e outro o “sensível”, por exemplo. Outra teoria é o excesso de elogios, que pode fazer com que a criança acredite que é “perfeita”, o que causa uma grande pressão e o sentimento de que não pode falhar. Por sua vez, isso pode fazer com que a pessoa, futuramente, se sinta uma farsa e, em consequência, não merecem reconhecimento. 

Como a pessoa se sente?

Por mais que sejam grandes realizadoras, essas pessoas são incapazes de reconhecer as suas realizações, por melhores que sejam. A Síndrome do Impostor está associada ao perfeccionismo, mais do que falta de autoconfiança. Ou seja, a tendência é que a pessoa atribui às suas realizações a fatores externos e não às suas próprias habilidades. Por não se reconhecer, tem dificuldades em aceitar elogios por não se considerar capaz e achar que teve sorte ao conquistar algo, ou que foi uma casualidade do destino. 

O que fazer para melhorar?

Trabalhar em equipe e dialogar sobre dificuldades pode ajudar. 

“Desse modo, a pessoa tende a ficar mais à vontade para expor suas opiniões.  Aos poucos vai construindo suas opiniões e manifestando-as, valorizando suas entregas e se tornando autônomo e protagonista da sua vida”, ressalta a professora do Ensino Fundamental Anos Finais Colégio Marista Maringá, Janaína Mulati.

Experimentar diferentes realidades possibilita condições de analisar e refletir sobre sua própria vida, valorizar as suas próprias potencialidades, não dependendo somente da aprovação externa. 

“Acreditamos no nosso potencial quando não desistimos perante as dificuldades, independente do reconhecimento ou não desse potencial por outros”, explica a professora. 

Conscientização é o primeiro passo para mudar, então certifique-se de rastrear esses pensamentos, o que são e quando surgem. 

Veja como evitar a Síndrome do Impostor:

• Reprograme a sua mente:  em vez de dizer a si mesmo que não merece reconhecimento, lembre-se de que é normal não saber de tudo e que você aprenderá com o passar do tempo.

Fale sobre seus sentimentos: se está incomodado com algo, compartilhe com pessoas de confiança. O diálogo e a conversa franca podem ajudar a reduzir os pensamentos negativos. 

Considere o contexto: em alguns momentos, é normal que você não se sinta totalmente confiante, ou tenha dúvidas. Mas isso não significa que você não é capaz, só que está passando por um período desafiador.

 • Encare o fracasso como uma oportunidade de aprendizado: descubra as lições e use-as de forma construtiva no futuro. Esta é uma lição importante para todos.

Seja gentil consigo mesmo. Lembre-se de que você tem o direito de cometer pequenos erros ocasionalmente e se perdoar. 

Procure apoio: é importante ter em mente que você pode buscar ajuda e que não precisa fazer tudo sozinho. Isso o ajudará a conversar sobre o assunto.

Visualize seu sucesso: foque no resultado que busca e cumpra todos as fases do processo, isso ajudará a se manter calmo e concentrado.

Os comentários estão desativados.