Infância

Contos de Natal: 3 histórias para ler com crianças

Share on whatsapp Pinterest LinkedIn Tumblr

Noite em família pode ser um momento para histórias e brincadeiras lúdicas 

Contar histórias incentiva o desenvolvimento da concentração e paciência pela criança que ouve. Ao narrar, os pais podem experimentar diferentes entonações de voz, de acordo com as emoções de cada personagem, praticando habilidades de interpretação que farão toda a diferença.

A leitura aumenta a imaginação, desenvolve a criatividade, melhora as habilidades linguísticas e comunicativas. 

“Estes fatores aliados a um momento tão especial como é o Natal, conseguem despertar os mais lindos sonhos e encantos que essa data proporciona”, ressalta a professora da Educação Infantil do Colégio Marista Cascavel, Jaqueline Bernal Martins.

Veja 3 contos de Natal para contar para o seu filho:

Conto sobre o pinheiro de Natal

Autor: Jean-Baptiste Poquelin Molière

Há muito, muito tempo, na noite de Natal, existiam três árvores junto ao presépio: uma tamareira, uma oliveira e um pinheiro. Ao verem o menino Jesus nascer, as três árvores quiseram oferecer-lhe um presente. A oliveira foi a primeira, dando ao menino Jesus as suas azeitonas. A tamareira, logo a seguir, ofereceu-lhe as suas doces tâmaras, mas o pinheiro, como não tinha nada para oferecer, ficou muito infeliz. As estrelas, vendo a tristeza do pinheiro, que nada tinha para dar ao menino Jesus, decidiram descer e pousar sobre os seus galhos, iluminando e enfeitando o pinheiro. Quando isto aconteceu, o menino Jesus olhou para o pinheiro, levantou os braços e sorriu! Reza a lenda que foi assim que o pinheiro – sempre enfeitado com luzes – foi eleito a árvore típica de Natal. 

Lenda da vela de Natal

Lenda antiga de origem austríaca – autor desconhecido

Era uma vez, um sapateiro pobre que vivia em uma cabana, perto de uma humilde aldeia. Como gostava de ajudar os viajantes que passavam junto à sua casa durante a noite, o sapateiro deixava uma vela acesa todas as noites na janela da casa, para lhes iluminar o caminho.

Certa altura, deu-se uma grande guerra que fez com que todos os jovens partissem, deixando a aldeia ainda mais pobre e triste. Ao verem a persistência daquele pobre sapateiro, que continuava a viver a sua vida cheio de esperança e bondade, as pessoas da aldeia decidiram imitá-lo. E, na noite de véspera de Natal, todos acenderam uma vela nas suas casas. Iluminando, assim, toda a aldeia.

À meia-noite, os sinos da igreja começaram a tocar, anunciando a boa notícia: a guerra tinha acabado e os jovens regressavam às suas casas! Todos gritaram: “É um milagre! É o milagre das velas!”. A partir daquele dia, acender uma vela na véspera de Natal tornou-se tradição em quase todas as casas.

Lenda da rosa de Natal

Autora: Selma Lagerlöf

Na noite em que o Menino Jesus nasceu, uma pequena pastora, que no monte guardava o seu rebanho, viu passar alguns pastores e três Reis Magos, que se dirigiam para o estábulo onde Jesus estava, junto de Maria e José. Os pastores levavam presentes e os três Reis Magos levavam ricas ofertas de ouro, incenso e mirra. A pastora ficou triste, pois não tinha nada para oferecer ao Menino Jesus, e começou a chorar. Um anjo que por ali passava, ao ver tamanha tristeza, passou junto da menina e, quando as suas lágrimas caíram na terra gelada, transformou-as em lindas rosas brancas, que a menina, com o coração carregado de felicidade, rapidamente apanhou e levou como oferta ao Menino Jesus.

Os comentários estão desativados.