Comportamento

Saiba a importância de dizer “não” às crianças

Pinterest LinkedIn Tumblr

Negar um pedido, especialmente na época de Natal, pode ser um verdadeiro desafio para mães e pais

Mesmo que não seja considerada uma tarefa fácil, dizer “não” para os filhos é fundamental para ensinar sobre limites e como lidar com a frustração. No entanto, colocar limites com empatia é uma forma de amar, orientar e ajudar as crianças a lidarem com os desejos não atendidos. Essas situações são vivenciadas especialmente na época de Natal, quando os pequenos querem fazer pedidos de presentes.

“É comum que mães e pais cedam à criança por medo de perder o seu amor”, reflete a psicóloga Luiza Drehmer.

Ela lembra que, diante de uma negativa, é comum que os filhos apresentem raiva e sofrimento, e que a maneira que os pais reagem influencie diretamente no processo de aceitação. Por isso, é preciso suportar que, às vezes, ela vai ficar brava, e tudo bem sentir isso.

“A vida segue, com satisfações possíveis, mas nunca absolutamente completas”, diz.

Afinal, lidar com a falta é um importante aprendizado que deve ser transmitido pelos pais.

No caso do Natal, a psicóloga orienta que os pais valorizem, mais do que presentes, o verdadeiro significado da época, priorizando a união entre a família e amigos. Com isso, os presentes tendem a ficar em segundo plano.

“Eu diria que o brinquedo deve ser pensado como um instrumento que possibilita a fantasia e a brincadeira. Esse instrumento pode ser desde uma boneca de pano ou um carrinho eletrônico, até uma batata com palitinhos que compõem suas pernas e braços”, afirma.

A importância da palavra “não”

Quando uma criança aprende a dizer a palavra “não” normalmente passa a utilizá-la sem parar. Isso porque ela descobre que essa simples menção pode colocar limites no outro, passa a exercitar a sua própria voz e dizer o que não quer. Segundo a psicóloga, as crianças só aprendem essa “palavrinha mágica” porque a escutam bastante. A questão a ser levantada, ressalta, é quando essa é a única palavra utilizada nas interações.

Se a situação permite, é possível tentar explicar para os filhos porque está tomando determinada decisão, sobre o porquê de negar algum pedido, seja um brinquedo, um doce, ou até mesmo a hora de ir embora do parquinho. Porém, Luiza lembra que às vezes “não é não”, e nem sempre é preciso explicar tudo à criança com a intenção de se desculpar. Seja qual for a circunstância, é importante sempre demonstrar que compreende a sua frustração e se solidarizar com a criança, para que ela aprenda a identificar e nomear os sentimentos.

Deixe um comentário!