Infância

Vacina: Conheça quais as crianças devem tomar

Share on whatsapp Pinterest LinkedIn Tumblr

Entenda melhor quais são as vacinas obrigatórias para que crianças e adolescentes estejam com a carteirinha em dia

Vacinas são substâncias que têm o objetivo de proteger nosso corpo contra doenças. Elas estimulam o organismo a produzir respostas imunológicas, a partir do próprio agente causador da enfermidade, que é enfraquecido ou inativado e então inserido no corpo (por injeção ou a famosa gotinha). Dessa forma, quem toma a vacina consegue se prevenir de inúmeras doenças, pois o corpo consegue reconhecer e combater o agente causador. 

O Brasil já conseguiu erradicar diversas doenças com campanhas de vacinação da população. A varíola e a poliomelite, por exemplo, já não causam mal às pessoas, mas mesmo assim é importante manter a vacinação contra essas doenças em dia. 

Vacinas e escolas

A apresentação da carteirinha de vacinação no ato da matrícula escolar para estudantes com até 18 anos é obrigatória em vários estados e municípios brasileiros. O objetivo é aumentar os índices de vacinação no País e com isso manter a saúde da população em dia. 

Como funciona?

O responsável pelo estudante deve entregar a declaração de vacinação emitida e assinada por profissional da saúde, que ateste que o estudante está com o esquema vacinal em conformidade com o Programa Nacional de Imunização. A declaração poderá ser solicitada aos serviços públicos (Postos de Saúde) e privados que realizam vacinas.

A falta do documento exigido ou de alguma vacina considerada obrigatórias não impede a matrícula, mas a situação deverá ser regularizada em um prazo máximo de 30 a 60 dias, dependendo do local.

Antes e depois da vacina

A enfermeira do Colégio Marista Pio XII, de Ponta Grossa (PR), Camila Obrezut, sugere tranquilizar as crianças antes de receber a vacina e também explicar a elas sobre possíveis reações, que podem surgir em até 48 horas após a imunização.

“Podemos aliviar os sintomas colocando uma pedrinha de gelo no local, não esquecendo que gelo queima se for colocado diretamente sobre a pele, então é necessário colocá-lo em um saco plástico e envolvê-lo em uma toalha”, explica a enfermeira. 

A vacina pode causar febre ou dor de cabeça no dia da aplicação e nesses casos é possível usar um antitérmico ou analgésico. Camila orienta seguir a dose indicada pelo médico, pois a quantidade varia de acordo com o peso da criança ou mesmo o tipo de remédio – se é xarope ou comprimido, por exemplo. Indisposição e cansaço também podem ser normais após a aplicação da dose. Para melhorar esses sintomas, é preciso comer alimentos mais leves, como sopa de legumes e frutas cozidas, ou dar à criança pequenas quantidades de leite ou alimentos moles para evitar a indisposição. Também é importante dormir bem nos três primeiros dias após a vacina.

Saiba quais são as vacinas recomendadas de acordo com a faixa etária:

Para crianças até 10 anos:

  • Vacina contra Tuberculose (BCG ID);
  • Tríplice Bacteriana (DTPW ou DTPA);
  • Haemopophilus Influenzae tipo B;
  • Poliomelite;
  • Rotavírus;
  • Pneumocócicas conjugadas;
  • Meningocócicas conjugadas ACWY/C;
  • Meningocócica B;
  • Influenza (gripe);
  • Poliomielite oral;
  • Febre amarela;
  • Hepatite A;
  • Tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola);
  • Varicela;
  • HPV;
  • Tríplice bacteriana acelular do tipo adulto (DTPA);
  • Dengue.

Para adolescentes de 10 a 20 anos incompletos:

  • Hepatite B;
  • HPV quadrivalente;
  • Meningocócica ACWY;
  • Vacina febre amarela;
  • Tríplice Viral (SCR);
  • Dupla adulto (dT);

Os comentários estão desativados.