Leitura - 3min

Como ensinar seu filho a lidar com a frustração?

Aprender a esperar, e algumas vezes se frustrar, é saudável para o desenvolvimento emocional das crianças

Quem é mãe e pai, ou mesmo quem cuida de crianças, provavelmente já passou por situações de birra, quando o filho bate o pé querendo comer um doce, comprar um brinquedo ou assistir à televisão em um horário inapropriado. Diante de circunstâncias como essa, os adultos não sabem ao certo como agir e acabam atendendo aos pedidos sem pensar muito nas consequências.

Contudo, conseguir negar alguns pedidos dos filhos pode ser uma boa forma de ensiná-lo sobre uma experiência importante: a frustração. Mesmo que os pais possam se sentir culpados por não atender todas as vontades dos pequenos, aprender a esperar é saudável para o desenvolvimento emocional. Afinal, as crianças precisam compreender que é normal se decepcionar ao longo da vida.

Valide os sentimentos

Porém, como equilibrar as negativas sem parecer que está negligenciando o pedido dos filhos? A psicóloga Ludiana Cardozo Rodrigues afirma que os pais não podem evitar que as crianças se frustrem, porque uma hora ou outra elas vão precisar encarar esse sentimento. “Devemos acolher as suas frustrações, por meio da escuta e da validação dos seus sentimentos”, aconselha.

Os pais não precisam se sentir mal por não atender as vontades das crianças de imediato. Mesmo porque atitudes como essa podem trazer mais benefícios para o desenvolvimento do que simplesmente estancar uma crise de choro deixando o filho fazer o que quer. Além de faltar maturidade para decidir sobre tudo, ele pode ficar condicionado a não ter tolerância.

A ausência de tolerância, ou de saber esperar, pode causar impactos mais tarde, lembra a psicóloga. “Quando tirar uma nota baixa, por exemplo, pode ficar muito frustrado porque não aprendeu a lidar com a falha. No futuro, no mercado de trabalho, terá dificuldades em ouvir um não do chefe”, diz Ludiana.

Brinque com a sua criança

Quando a criança expressa comportamentos como choro e gritos pode estar querendo comunicar algo. No fundo, talvez seja uma forma de chamar atenção dos adultos que estão próximos. Por isso, é essencial se aproximar do filho e separar um tempo do dia para se dedicar exclusivamente a ele.

“As crianças aprendem muito por meio do brincar, que é muito saudável e simbólico para elas”, ressalta a psicóloga. Por meio das brincadeiras, é possível passar ensinamentos sobre a vida, dialogando de forma aberta e em uma linguagem acessível.

O diálogo também é uma das melhores formas de estabelecer um vínculo de confiança com o filho, e deve ser um costume desde que a criança é ainda bem pequena. Além de conversar, é válido lembrar que na infância se aprende muito pelo exemplo, por isso é importante os pais estarem atentos às formas com que se comportam diante das circunstâncias da vida.

Noticias Relacionadas:

Outras noticias relacionadas à: Comportamento

Deixe aqui suas sugestões, elogios ou críticas