Infância

Como lidar com a sobrecarga sensorial em crianças

Share on whatsapp Pinterest LinkedIn Tumblr

O excesso de estímulos pode ser prejudicial para os pequenos. Veja como:

O excesso de exposição às telas, atividades físicas ou até mesmo propostas lúdicas podem causar sobrecarga sensorial nas crianças, mas você sabe o que é isso? Essa situação ocorre quando o corpo é incapaz de processar, organizar e responder a todos os estímulos recebidos. Por isso, é preciso lembrar que as crianças também precisam de tempo de ócio, essencial para o bem-estar e indispensável para um bom desenvolvimento. 

A coordenadora de Educação Infantil do Colégio Marista Maringá, Eliana Graciliano, ressalta que vivemos em ritmo acelerado e somos cada vez mais bombardeados com estímulos em excesso.

“Não é de admirar que nosso cérebro e sistema nervoso às vezes estejam sobrecarregados”, afirma Eliana.

Como saber dosar as atividades?

Os estímulos, lembra a coordenadora, precisam ser qualitativos ao desenvolvimento da criança e, para que isso aconteça, ela precisa estar em ação. Ou seja, quanto mais atividade exploratória, melhor. 

Os pais podem investir em passeios ao ar livre para observação dos sons, cheiros, cores, formas e diversos fenômenos naturais das estações e do dia e noite, por exemplo. Realizar atividades “mão na massa” como confecção de tintas naturais, receitas culinárias e montar brinquedos com materiais reciclados são ótimas alternativas para evitar a sobrecarga sensorial em crianças. 

Tempo de ócio é importante?

Por outro lado, é preciso ter em mente que, mesmo no caso de tarefas manuais é preciso equilíbrio. Os momentos livres de qualquer aprendizado ou finalidade são essenciais para saciar as necessidades cognitivas de descobrir, explorar e tatear o mundo espontaneamente. 

“Tempo do ócio é importante, pois entendemos como espaço criativo”, complementa Eliana.

Ainda neste sentido, a coordenadora sugere reduzir significativamente a exposição às telas como tablet, celulares, televisões e computadores, que trazem informações prontas à criança e não exigem esforço nem criatividade.  Por fim, é importante propor atividades que a criança goste de fazer, criando uma rotina organizada que atenda às suas necessidades.

Os comentários estão desativados.