Marista Lab

Educação bilíngue: 5 dicas para estudar com os filhos

Share on whatsapp Pinterest LinkedIn Tumblr

Pais podem contribuir para aprendizado do inglês com atividades simples e divertidas em casa

Cada vez mais famílias buscam a educação bilíngue para que os filhos aprendam desde cedo mais um idioma. Uma pesquisa do MIT (Massachusetts Institute of Technology) comprovou que para se aproximar da fluência de um falante nativo do idioma, o ideal é começar a estudar até os 10 anos de idade

Quanto mais cedo a criança for exposta a um segundo idioma, mais fácil será o aprendizado. “Além disso, na infância se torna mais natural a reprodução de certos sons essenciais para se comunicar bem”, explica a coordenadora de Internacionalização do Colégio Marista Paranaense, Erli Dione Weissheimer, a Miss Nina. 

Como a criança deve estudar inglês?

A quantidade de tempo é essencial para a educação bilíngue, já que quanto mais horas de exposição, mas rapidamente a criança sairá do seu período silencioso (silent period). Assim é chamado o tempo que a criança precisa para adquirir estruturas linguísticas e expandir seu vocabulário. É importante lembrar que cada criança tem um tempo para começar a se sentir confortável para se comunicar em um segundo idioma, sem se sentir pressionada. 

Como os pais podem ajudar?

Além da escola, os pais também podem auxiliar a criança no processo de aprendizagem e aquisição de uma educação bilíngue. Confira cinco dicas para que esse aprendizado seja reforçado em casa:

1. Se os pais, parentes ou amigos têm conhecimento de outro idioma, eles poderão estimular o aprendizado conversando com as crianças, definindo uma dinâmica familiar. Por exemplo, um dos pais pode falar português e o outro, o segundo idioma. Também podem incentivar a criança a falar o segundo idioma com algum membro da família ou amigos. É importante possibilitar o desenvolvimento de ambas as línguas paralelamente; a primeira língua (L1) e a segunda língua (L2) e integrar ambas as culturas.

2. Estudar com a criança ou auxiliá-la nos estudos demonstra que ela não está sozinha, principalmente em momentos em que apresenta alguma dificuldade ou esteja se sentindo desmotivada.

3. Promover momentos prazerosos, como estimular a leitura de livros, revistas e histórias em quadrinhos auxilia a criança a desenvolver seu vocabulário adequadamente e observar estruturas gramaticais em contextos reais de forma natural, como acontece com a L1. 

4. Fazer atividades divertidas junto com a criança, como brincar, jogar, assistir programas de TV e séries, ouvir música e cantar na L2 transporta a criança a um ambiente onde ela poderá experimentar momentos lúdicos diferentes dos formais e didáticos ou acadêmicos.

5. O uso de aplicativos e jogos on-line para praticar o idioma também é uma ótima maneira de desenvolver a L2.  Descobrir quais assuntos são de interesse da criança ou fazer uma pesquisa on-line na L2 juntos, desperta a curiosidade e pode ser surpreendente e motivador. 

Os comentários estão desativados.