Infância

Os 20 melhores livros infanto-juvenis de 2020

Share on whatsapp Pinterest LinkedIn Tumblr

Títulos que incentivam a imaginação e promovem a reflexão estão entre os lançamentos do ano

Todos sabemos da importância da leitura para as crianças, mas na hora de escolher os títulos para comprar é comum surgir a dúvida sobre quais escolher. Para ajudar nessa busca, elaboramos uma lista com os melhores lançamentos do ano para o público infanto-juvenil.

São títulos que trabalham temas como a importância do brincar, as emoções (saudades, amizades, medos, perdas, raiva), o protagonismo negro e a desconstrução de paradigmas. 

“Sempre algo que instigue, que incentive a imaginação e traga reflexão sobre nossas posturas, valores e anseios”, ressalta a bibliotecária do Colégio Marista Santa Maria, em Curitiba, Cláudia Borinelli.

Confira os 20 lançamentos infanto-juvenis de 2020:

 1. O muro no meio do livro – Jon Agee – Editora Pequena Zahar 

Esse livro foi premiado esse ano na categoria Tradução Adaptação Criança pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) e fala sobre um “pequeno cavaleiro que está confiante de que o muro protege o seu lado bom do livro dos muitos perigos do outro lado – um tigre faminto, um rinoceronte gigante, além do pior de todos, um ogro terrível que seria capaz de comê-lo com uma só mordida. Mas nem tudo é o que parece…  Com gentileza e humor, O muro no meio do livro, mostra que em vez de muros precisamos construir pontes!”

2. Lá no meu quintal: o brincar de meninos e meninas de Norte a Sul – Gabriela Romeu – Editora Peirópolis 

Neste livro vamos descobrir os quintais de crianças das cinco regiões brasileiras, onde folha vira catavento, pique é no pequizeiro e rio garante a diversão! Basta chegar, embarcar… E brincar! O brincar é uma espécie de língua-mãe da infância. E foi por meio dessa linguagem que Gabriela Romeu, Marlene Peret e Samuel Macedo conheceram o Brasil, conectando-se com as crianças das beiradas de rios, dos grandes centros urbanos, de comunidades quilombolas e povos indígenas – regiões algumas vezes próximas, outras bem distantes. Evidenciam o saber infantil, que é de cada um, mas é tão comum a todos – afinal, as brincadeiras mudam de nome, mas, em suas diferentes versões, compõem a linguagem universal do brincar.

3. Pinóquio, o livro das pequenas verdades – Alexandre Rampazzo – Editora Boitatá 

Pinóquio, o célebre boneco de madeira que conta lá suas mentirinhas e busca todo o tempo tornar-se ‘um menino de verdade’, talvez esteja apenas tentando corresponder às expectativas dos outros. Nesta narrativa onírica e cativante, somos colocados frente a frente com todas as possibilidades de nossas identidades pessoais e da descoberta (e aceitação) de si. Em Pinóquio: o livro das pequenas verdades, o autor recupera o querido personagem de Carlo Collodi e bagunça nossos pré-julgamentos, promovendo uma reflexão rica sobre quem somos e quem desejamos ser”.

4. O pequeno príncipe preto – Rodrigo França – Nova Fronteira 

Em um minúsculo planeta, vive o Pequeno Príncipe Preto. Além dele, existe apenas uma árvore Baobá, sua única companheira. Quando chegam as ventanias, o menino viaja por diferentes planetas, espalhando o amor e a empatia. O texto é originalmente uma peça infantil que já rodou o país inteiro. Agora, o autor traz essa delicada história no formato de conto, presenteando o jovem leitor com uma narrativa que fala da importância de valorizarmos quem somos e de onde viemos – além de nos mostrar a força de termos laços de carinho e afeto. Afinal, como diz o Pequeno Príncipe Preto, juntos e juntas todos ganhamos.

5. Amoras – Emicida – Editora Cia. Das Letrinhas 

Na música “Amoras”, Emicida canta: “Que a doçura das frutinhas sabor acalanto/ Fez a criança sozinha alcançar a conclusão/ Papai que bom, porque eu sou pretinha também”. E é a partir desse rap que um dos artistas brasileiros mais influentes da atualidade cria seu primeiro livro infantil e mostra, através de seu texto e das ilustrações de Aldo Fabrini, a importância de nos reconhecermos no mundo e nos orgulharmos de quem somos — desde criança e para sempre.

6. Quase ninguém viu – Aline Abreu – Editora Jujuba

 De onde viemos? Quem são nossos pares, família, que estarão sempre com a gente? Aline Abreu, escritora e ilustradora deste já premiado livro (vencedor do Prêmio João-de-Barro de Livro Ilustrado 2016), traz esta e outras questões que permeiam nossa existência pela voz de um sapinho, que se perde de sua família e vive em busca de sua essência. Poeticamente, a autora nos mostra que, quando juntos, somamos nossas diferenças e compartilhamos nossos melhores afetos.

7. Na beiradinha – De Lestrade Agnes – Editora Aletria 

Esse é um livro que evidencia o tempo que estamos vivendo, de reinvenção, de medos e incertezas, mas ainda assim, permeado de poesia. “Na beiradinha da beira, há o desconhecido. Se eu saltar, para onde irei? E se for ruim? E se não der certo? E se for novo?”

8. Os diferentes – Paula Bossio – Editora Pulo do Gato

Uma menina acorda e, ao andar pelas ruas, faz estranhas descobertas… Sente-se desconcertada quando se dá conta de que existe algo estranho em cada pessoa que vai encontrando pelo caminho: no ponto de ônibus, no parque, nas ruas, na escola, na lanchonete… “Existe muita gente estranha andando por aí, vocês não perceberam?”, ela questiona, surpresa. Todos parecem ser diferentes, exceto sua família. Assim que chega em casa, sua sensação de estranhamento se esvai e ela se sente segura, confortável e igual entre os seus. Mas será que é assim mesmo?

9.  Apesar de tudo – Dipacho – Editora Cia. Das Letrinhas

Nenhuma história de amor acontece sem dificuldades, seja você humano ou pinguim. Mas é justamente quando passamos por obstáculos que o sentimento se fortalece. Às vezes, alguns encontros nos surpreendem e tocam profundamente, e a vida fica tão boa que a gente até desconfia. Tudo ganha uma nova cor. Mas, quando as dificuldades surgem ― e elas podem ser tão grandes que até parecem insuperáveis ―, podemos pensar em desistir e voltar ao que éramos antes. Mas e se, apesar de tudo… tentarmos? De um jeito simples e com ilustrações cheias de carisma, o autor e ilustrador colombiano Dipacho mostra que toda boa história de amor vale a pena.

10. Se eu abrir essa porta agora… – Alexandre Rampazzo – Editora Sesi-SP

Na hora de dormir, um quarto escuro pode guardar algumas surpresas… Você tem certeza de que a porta do guarda-roupa está fechada? Tem certeza de que não há nada dentro, ou melhor, morando no guarda-roupa? Um monstro talvez? Se eu abrir esta porta agora… faz o leitor assumir o protagonismo da história ao se colocar no lugar do personagem, abrindo sucessivas vezes a porta do guarda-roupa em um quarto escuro, sendo a cada momento conduzido a uma surpresa diferente. Alexandre Rampazo usa o formato do próprio livro para transformá-lo em um elemento da narrativa, permitindo que imaginação e realidade se misturem, em uma história que conduz o olhar do leitor a uma experiência única.

11. Vazio – Anna Llenas – Editora Moderna

A vida é cheia de encontros e, também, de perdas. Às vezes, a gente perde coisas insignificantes: um lápis ou um objeto qualquer. Mas podemos perder coisas bem mais valiosas, como a saúde ou uma pessoa querida. Vazio conta a história de uma menina que consegue superar essa tristeza, dando um novo sentido às suas perdas.

12. Contos para garotos que sonham em mudar o mundo: 50 histórias inspiradoras de super-heróis de carne e osso – G. Marvel – Editora Outro Planeta

O que Albert Einstein, Beethoven, Ayrton Senna, Leonardo da Vinci e Martin Luther King tinham em comum? Todos foram jovens que não sabiam o que o futuro lhes reservava – assim como é para muitos de nós. Mas esses jovens cresceram e se tornaram verdadeiros modelos, inspirando crianças do mundo todo. Esse livro apresenta de forma divertida as histórias de 50 super-heróis de carne e osso para todos que querem fazer diferença no mundo sem precisar de capa e espada. Com Alan Turing, Alberto Santos Dumont, Antoine de Saint-Exupéry, Bill Gates, Charles Darwin, Dalai Lama, Harvey Milk, Isaac Newton, e muitos outros.

13. Histórias de Ninar Para Garotas Rebeldes – Ellena Favili – Editora VR

 Cem histórias que provam a força de um coração confiante: o poder de mudar o mundo. Que essas valentes mulheres inspirem vocês. Que os retratos delas imprimam em nossas filhas e filhos a profunda convicção de que a beleza se manifesta em todas as formas, cores e idades. Em Histórias de ninar para garotas rebeldes, tudo o que podemos sentir é esperança e entusiasmo pelo mundo que estamos construindo. Um mundo onde gênero não defina quão alto você pode sonhar nem quão longe você pode ir.

14. A fabulosa máquina de amigos – Nick Bland – Editora Brinque-Book

Pipoca era uma galinha muito simpática. A mais simpática da fazenda Fricotico. Insistia em dizer olá para todos os amigos pela manhã, usava palavras como maravilhoso, fabuloso e alegrava todo mundo. Além disso, ela também contava histórias e fazia companhia aos outros animais. Até que um dia, no celeiro, encontrou um misterioso retângulo iluminado que dizia olá. O que seria aquele objeto? Ela resolveu dizer olá também, já que era tão simpática, e de “olá” em “olá”, foi fazendo novos amigos. “Será? Uma divertida fábula sobre relacionamentos na era da tecnologia, ilustrada com as cores, a irreverência e o talento de Nick Bland.

15. A diferença invisível – Mademoiselle Caroline – Ed. Nemo

Retrata a vida de Marguerite, que tem 27 anos, e aparentemente nada a diferencia das outras pessoas. É bonita, vivaz e inteligente. Trabalha numa grande empresa e mora com o namorado. No entanto, ela é diferente. Marguerite se sente deslocada e luta todos os dias para manter as aparências. Sua rotina é sempre a mesma, e mudanças de hábito não são bem-vindas. Seu ambiente precisa ser um casulo. Ela se sente agredida pelos ruídos e pelo falatório incessante dos colegas. Cansada dessa situação, ela sai em busca de si mesma e descobre que tem um Transtorno do Espectro Autista – a síndrome de Asperger. Sua vida, então, se altera profundamente.

16. O diário de Anne Frank (em HQ) – Ari Folman – Ed. Record 

A única edição autorizada pelo Anne Frank Fonds. O diário de Anne Frank, traz o depoimento da pequena Anne, morta pelos nazistas após passar anos escondida no sótão de uma casa em Amsterdã, ainda hoje emociona leitores no mundo inteiro. Suas anotações narram os sentimentos, os medos e as pequenas alegrias de uma menina judia que, como sua família, lutou em vão para sobreviver ao Holocausto. Lançado em 1947, O diário de Anne Frank tornou-se um dos livros mais lidos do mundo.

17.  As irmãs esquisitas – Serena Valentino – Ed. Universo dos Livros

Ao longo da série Vilões da Disney, as três irmãs esquisitas se intrometeram na vida da Rainha Má, Fera, Úrsula, Malévola e Mamãe Gothel, e com isso redirecionaram o destino dos maiores antagonistas de todos os tempos. Agora, é a vez de elas terem sua história contada.

18. Sulwe – Lupita Nyiong – Ed. Rocco Pequenos Leitores

Faz parte da Coleção Orgulho de ser eu, Sulwe tem a pele da cor da meia-noite. E mais escura que todos de sua família. Ela é mais escura que todos de sua escola. Ela só queria ser bonita e cheia de luz como sua mãe e sua irmã. Quando ela menos esperava, uma jornada mágica no céu da noite abriu seus olhos e fez com que tudo mudasse.

19. Box Anne – Anne de Green Gables, Anne de Avonlea e Anne da Ilha

Publicados a partir de 1908, os livros da série são atualíssimos, na medida em que apresentam temas contemporâneos como adoção, bullying, feminismo – já que as histórias são conduzidas por mulheres fortes, que lutam por seus ideais e por seus desejos. Realça a beleza e a força da natureza, mostra a importância da leitura e dos livros, faz o leitor rir e chorar, refletir, se encantar. Cativa com seus personagens bem construídos, com um humor peculiar e com ações sempre permeadas por valores essenciais à convivência e à consciência humanas. Em Anne de Green Gables (1908), Anne Shirley, órfã de 11 anos, é adotada pelo casal de irmãos Marilla e Matthew Cuthbert, da fazenda Green Gables, na Ilha Príncipe Eduardo, no Canadá. Como uma espécie de Pollyanna, sua capacidade de ver sempre o lado bonito e positivo de tudo, seu amor pela vida, pela natureza, pelos livros, conquista a todos, e Anne acaba sendo “adotada” também pela comunidade

20. Os convidados de Senhora Olga – Eva Furnari – Ed. Jujuba

Já imaginou jantar com o coelho da Alice, os três mosqueteiros, e o Homem de Lata? E se eles batessem à sua porta, famintos e cheios de histórias? Pois todos os dias a senhora Olga prepara jantares deliciosos para receber esses viajantes. Misteriosos, cada um tem uma aventura para contar. Em uma mistura de realidade e imaginação, Eva conduz o leitor por uma jornada de celebração da literatura.

Os comentários estão desativados.